• A poesia de Leonard Cohen #naBlooks!

    Muita gente achou estranho quando o nome de Bob Dylan foi anunciado como ganhador do prêmio Nobel de literatura. O fato de Dylan ser poeta causou estranheza, as pessoas esqueceram de todas as letras que ele escreveu e sua gigantesca força poética. Esqueceram também do poeta enquanto bardo, que sai por aí brandindo sua poesia aos …

    More  →
  • Exclusividade Blooks: A Mariposa, de Maria Cecilia Nachtergaele

    Aos 16 anos Matheus Nachtergaele recebeu uma coleção de poemas escritos pela sua mãe, a poeta Maria Cecilia Nachtergaele. As páginas delicadas ficaram por anos guardados numa gaveta até ganharem a luz do dia sob a forma de um monólogo, processo de conscerto do desejo, em que Matheus recita os poemas da sua  mãe, que se suicidou …

    More  →
  • #NaBlooks: Cobra Norato, de Raul Bopp

    Um dia eu hei de ir morar nas terras do Sem-Fim: Vou andando caminhando caminhando Me misturo no ventre do mato mordendo raízes Depois faço pussanga de nó de cabelo Então mando chamar a Cobra Norato (Trecho incial do poema Cobra Norato) Nada como ir na Blooks e descobrir essa novíssima, e linda, edição do …

    More  →
  • Dica Blooks: Poesia completa, de Orides Fontela

    Há  muito tempo que li algo de Orides Fontela. Ainda foi bem pouco, bem menos que outros poetas de sua geração como Paulo Leminski e Hilda Hilst a quem dediquei longas leituras e que  realmente fizeram e fazem parte do meu cotidiano de leitor. De Orides Fontela eu esqueci, por puro excesso de coisas pra …

    More  →
  • #NaBlooks: Punkpoemas, de Luiz Claudio Oliveira

    O punk está vivo? A poesia está viva?! Parece que vivíssimos e correndo de  mãos dadas  pelo mundo. Do surgimento nos EUA na década de 70 para a Inglaterra e o mundo o punk revirou o estômago do rock’n’roll, radicalizou posturas,  despiu a cultura pop dos excessos glam e progressivo e ergueu como nunca o …

    More  →
  • Dica Blooks: Sereia de papel – Visões de Ana Cristina Cesar

    O livro que colocou Ana Cristina Cesar nas minhas mãos foi A teus pés, uma edição da Brasiliense, da clássica coleção Cantadas Literárias. Publicado em 1982, um ano antes da morte de sua morte, o livro compilava três edições independentes da poeta carioca, Luvas de Pelica, Correspondência Completa e Cenas de Abril, numa mistura íntima …

    More  →
  • Dica Blooks: Outro, de Augusto de Campos

    Alguns talvez não saibam ou nem mesmo concordem mas o poeta Augusto de Campos, pela vastidão e precisão de sua obra, já demonstrou ser um dos grande poetas brasileiros. Graças a ele, seu irmão Haroldo e Décio Pignatari, entre outros nomes que a eles estiveram associados, o mundo pode ver no Brasil do anos 1950 …

    More  →
  • #naBlooks: Antologia da Poesia Erótica Brasileira

    Recentemente o livro Toda poesia, que reúne a obra do poeta curitibano Paulo Leminski, alçou voo aos céus dos livros mais vendidos, tirando a poesia do seu recatado silêncio. Poesia, no Brasil, parece ser uma coisa muito amada mas pouco lida. Lê-se também, a partir do meu modesto ponto de vista, muito do mesmo, Drummond, …

    More  →
  • A estrada – Poema em ilumino gravura de Ariano Suassuna, que hoje faria 88 anos

    More  →
  • Todos na poesia! Na Blooks São Paulo!

      Procure agora numa uma  lista dos livros mais vendidos e veja se tem algum de poesia… Não, não tem. Raramente tem. O sopro de poesia mais recente nos mais vendidos foi o Toda poesia, do Paulo Leminski e isso dá uma alegria danada. brasileiro, sim, eu, você e o outro, gosta muito de poesia mas …

    More  →
  • Dica Blooks: As pessoas parecem flores finalmente, de Charles Bukowski

    A verdade é que o Velho Safado era um grande poeta. Em meio aos muitos livros de crônicas e memórias de Charles Bukowski eu sempre esbarrei em suas poesias e o presente volume da L&PM, As pessoas parecem flores finalmente, belamente traduzido por Cláudio Willer, que já tem um histórico de traduzir  beats e afins …

    More  →
  • Hilda Hilst: quatro poemas na voz da autora

    More  →
  • Poesia: Os poemas que Drummond traduziu

    Carlos Drummond de Andrade é, certamente, um dos poetas mais conhecidos e mais lidos no Brasil. Muitas de suas poesias fazem parte do nosso imaginário poético.  José, do célebre verso E agora, José? e Quadrilha são desses poemas que todo mundo sabe, mesmo sem saber exatamente de quem é: João amava Teresa que amava Raimundo que …

    More  →
  • Cine Blooks: MPB especial com Vinícius de Moraes

    More  →
  • Dica Blooks: A poesia de W. H. Auden

    Começando a semana com uma importante dica de poesia. Na semana passada comprei essa bela edição de Poemas [W. H. Auden], que reúne uma seleção bilíngue do poeta inglês. Auden era uma falha no meu sistema, um poeta que sempre quis ler sem nunca ter lido. Lembro dele uma uma antiga série de livros da …

    More  →
  • A poesia completa de Mário de Andrade

    E chegando na Blooks me deparo com dois irresistíveis volume da poesia completa de Mário de Andrade. lembro então que nunca mais li Mário de Andrade. A última vez que me emocionei com ele foi com um disco da Maria Bethânia, Brasileirinho. Não sou muito fã das poesias recitadas nos disco da Bethânia, acho meio …

    More  →
  • Olhos de lince – Waly Salomão

    More  →
  • Drummond na Paraíba

    Em viagem pelo Nordeste passo pela Paraíba e resolvo visitar o Farol do Cabo Branco, ponto oriental mais extremo da América (na verdade é a Ponta do Seixas, logo mais adiante mas o farol é um marco que tá valendo). Impossível não se encantar com o sol que ali brilha, que certamente brilha mais oriental …

    More  →
  • Não devemos achar que o trabalho criativo é puramente mental, porque idéias que não são escritas são arquivos que não são salvos: basta o computador ser desligado (ou seja, uma noite de sono) para que tudo se evapore. Não adianta ter uma idéia genial: é preciso colocá-la no papel, brigar com ela, batalhar, cortar, reescrever, …

    More  →
  • Poesia pois é poesia

    Para celebrar do Dia Nacional da Poesia começo roubando para título do post o título do livro que reúne a obra do poeta Décio Pignatari de 1950 a 2000. Esse título sintetiza o que possa ser dito sobre a poesia… como a poesia de Décio é o que pode ser dito sobre a poesia… assim como …

    More  →
  • Chacal sobe ao palco com sua história à margem

    Reestreia amanhã na Casa de Cultura Laura Alvim, em Ipanema, a peça Uma história à margem do sempre-poeta-sempre Chacal (eu poderia fazer uma boa lista das coisas que Chacal faz… letrista, músico, agitador cultural mas poeta dá conta disso tudo e ainda mais). No monólogo o carioca de um Rio de janeiro mitológico revê e …

    More  →
  • Chacal

    More  →
  • Poesia completa de Yu Xuanji

    Dois livrinhos chamaram minha atenção ontem na seção de poesia da Blooks. Essa seção fica lá no cantinho final da livraria, discreta porém poderosa. Num olhar rápido podemos vislumbrar podemos vislumbrar do melhor ao mais obscuro, e nem por isso pior, da poesia mundial. Mas esses dois títulos da editora UNESP brilham aos olhos por …

    More  →
  • Poemas escolhidos de Elizabeth Bishop

    É sempre bom lembrar que a poesia tá aí, na rua, na fala e nas livrarias. Às vezes dá essa sensação de que a poesia anda esquecida das pessoas, que poesia não vende livro, que ninguém se interessa. A poesia no Brasil é muito valorizada quando vem dentro de uma música… poemas imortalizados em canções, …

    More  →
  • Quando Drummond era menino

    Lembro que eu era adolescente, já interessado em leitura, e achava Carlos Drummond velho. Imagina, ele nasceu em 1902! Antes da minha avó! Todas fotos que eu ia dele era já mais velho, e aquele verso “E agora, José?” como um beco sem saída. Era um poeta das antologias e das aulas de literatura, quando …

    More  →
  • Começar a semana com a poesia de Antonio Cícero

    São dez anos sem lançar poesia… é um longo intervalo para que não haja poesia entre nós, certo? Mas um intervalo tem sempre um início e um fim e este chegou para o poeta, letrista e filósofo (listando assim nem parece que possam ser indistinguíveis) Antonio Cícero. Finalmente ele lançou ao mundo um volume de …

    More  →
  • Um mistério chamado Emily Dickinson

    Tem um livro de poemas na Blooks que traz uma revelação. A revelação da simplicidade intrincada, de delicadeza e suas arestas. A revelação do silêncio, do vazio, das palavras poucas que podem compor um sentimento. É preciso um mínimo nesse livro para trazer aquele olhar que sai da página e se vira para o nada, …

    More  →
  • Poeisa: Fernando Pessoa e Cecília Meireles

    A poesia anda meio esquecida aqui no corre-corre diário do blog e para corrigir essa injustiça trazemos hoje uma palavra sobre duas edições especialíssimas. Dois mitos da poesia em língua portuguesa tiveram sua obra revisitada, numa nova oportunidade de alcançar novos públicos e dar aos fiéis seguidores a chance de ampliar ainda mais sua leitura. …

    More  →
  • Dica do Fábio C.:Poesia é não, de Estrela Ruiz Leminski

    Título enigmático para um livro de poesia, e eu como gosto de escarafunchar seja livro, pessoas ou subtextos em meros diálogos, o diabo mora nos detalhes, me arrisco a concordar com o ‘Não’ do título. O ‘Não’ significa muitas vezes liberdade. Imagina a quantidade de situações onde o ‘Sim’ poderia comprometer seu humor, sua vida …

    More  →
  • Mais das folhas de relva

    A Editora Hedra está trazendo ao mercado uma nova edição de Folhas de Relva, do poeta americano Walt Whitman. Chama-se Folhas de relva – Edição do leito de morte. Esse subtítulo pode parecer estranho, mas pretende marcar o fato de que Folhas de relva era um trabalho de uma vida, um processo continuo de transformação da poesia …

    More  →

Facebook